domingo, 11 de dezembro de 2016

Doctors (K-Drama)

Annyeonghaseyo, como vocês estão? Espero que bem. Não sou o tipo de pessoa que acompanha doramas ao mesmo tempo em que eles estão sendo lançados... mas quando saiu Doctors foi diferente. Não só fiquei aguardando ansiosamente pelo lançamento dos episódios como inclusive assistia em inglês (mesmo sem entender nada) só para matar a minha ansiedade um pouquinho. Confesso que ver a Shin Hye (minha diva do coração) nesse drama fazendo um papel totalmente diferente dos que ela costuma fazer me deixou super animada.

Título: 닥터스/ Dakteoseu/ Doctors/ Doctor Crush
Direção: Oh Choong Hwan
Roteiro: Ha Myung-Hee
Gênero: Ação, Drama, Médico, Romance
Publicação: K-Drama - 20 episódios (2016)
Nota♥♥♥♥♥

Doctors, drama coreano (2016)

Sinopse: Yoo Hye Jung (Park Shin Hye) é uma jovem cheia de problemas. Após brigar com o pai, acaba sendo enviada para o interior para viver com a avó paterna, com quem nunca se relacionou antes. Entretanto, mesmo causando diversos problemas, sua avó decide cuidar dela e depositar todas as suas esperanças e economias nela. Além disso, após conhecer o professor Hong Ji Hong (Kim Rae Won), a vida e as perspectivas de Hye Jun mudam completamente. Sobretudo, quando seu desejo de vingança se torna a força motriz para ela se tornar uma neurocirurgiã competente.



Uma das coisas que me fizeram amar esse drama foi o fato de ver a Shin Hye tendo a oportunidade de atuar num papel totalmente diferente dos que costumam dar a ela. Pensem comigo, de toda a carreira da Shin Hye, de certa forma, e isso é uma opinião particular minha, pude perceber uma certa evolução nas escolhas dos perfis de personagens. Falando sobre You're Beautiful, Flower Boys Next Door, Heartstrings e The Heirs em que ela sempre fez papel de mocinha meiga e indefesa, ou seja, papéis que geralmente são voltados para o público adolescente coreano, as personagens nunca tinham mais do que vinte anos, com exceção de FBND. E quando especifico isso é porque quero enfatizar que é um perfil totalmente contrário às produções para adolescentes brasileiras, leia-se Malhação.



Seguindo o meu raciocínio, percebemos em Pinocchio um divisor de águas. Ela tem a oportunidade de atuar como adolescente e como adulta. E isso traz junto beijos mais ousados, atípicos em relação aos seus papéis anteriores. No entanto, em Doctors, Shin Hye teve a oportunidade - e eu acredito que ela talvez desejasse isso, para quebrar a imagem que até mesmo os próprios coreanos têm dela - de dar vida a uma personagem delinquente, com sérios problemas de relacionamento com o pai e com os demais colegas de escola. Uma personagem que não apenas sabe lutar e bater, como também apanha e pouquíssimas vezes chora.




O perfil da Hye Jun é totalmente oposto a todas as personagens que a Shin Hye já fez. E eu adorei a Hye Jun por ela ser uma personagem forte, cativante, honesta, sem enrolação nem melodramas. Gostei de terem apostado nesse aspecto da personagem. E no drama como um todo. Doctors não é um drama cheio de enrolação e de mocinhas indecisas e assustadas. Até porque, Hye Jun quer se vingar pela morte de sua avó. E a única forma de fazer isso, é tendo que encarar todos os seus fantasmas do passado, desde a sua péssima relação com a antiga colega de escola, Jin Seo Woo (Lee Sung Kyung), e com o seu pai, Yoo Min Ho (Jung Hae Kyun).






No hospital, atuando como médica residente após largar um cargo extremamente promissor num hospital famoso de Seul, Hye Jun inicia sua batalha pessoal para vingar a morte da avó. Morte essa que poderia ter sido evitada. Dentro do hospital, ela descobre que o Professor Hong será seu chefe, além disso, ela ainda terá que lidar com o mal humorado Jung Yoon Do (Yoon Gyun Sang), que depois de ser desafiado por ela, acaba se apaixonando por Hye Jun, o que desperta a raiva e o ressentimento de Seo Woo.




Além dos casos médicos, já que Doctors é um drama médico, um dos pontos tocados pela série é o fato da privatização dos hospitais como meio de ganhar mais dinheiro. O pai de Ji Hong, o famoso Hong Doo Sik (Lee Ho Jae), representa o idealismo dentro da trama. Ele se recusa a transformar a medicina numa ferramenta mercadológica. Em contrapartida, o vice-presidente, Jin Sung Jong (Jeon Kuk Hwan), avô de Seo Woo e pai de Jin Myung Hoon (Eom Hyo Seop), anseia em privatizar todas as redes do hospital e poder lucrar com isso. O interessante de enfatizar esse tópico é mostrar ou levantar um questionamento interessante acerca do ofício da medicina. Médicos devem honrar o juramento de Hipócrates ou médicos podem se aproveitar de salvar vidas para ganhar dinheiro?




Poucos médicos ainda acreditam no romantismo ideológico, e esses poucos médicos são os que ficam ao lado de Ji Hong, como Kim Tae Ho (Jang Hyun Sung) e o próprio Yoon Do. E são eles que vão tentar convencer o Conselho do hospital sobre a melhor forma de gerir a clínica *Spoiler*: após a morte do Presidente Hong *Fim do spoiler*. Também são expostas no drama, além desse questionamento acerca do ser médico, questões como corrupção, lobbies, troca de favores dentre outras práticas ilícitas ou imorais.




Uma das coisas de que mais gostei nessa série, foi poder ver mulheres fortes ao seu modo. Mulheres ajudando e cuidando umas das outras. A avó da Hye Jun, a senhora Kang Mal Soon (Kim Young Ae), é uma senhorinha maravilhosa e ela é a peça fundamental para fazer com Hye Jun se torne a profissional dedicada e competente que ela é.




Além disso, Hye Jun não está sozinha, sua amizade com Chun Soo Hee (Moon Ji In) foi uma das coisas que ela herdou dos tempos da escola. Mas mesmo enfrentando desentendimentos com Seo Woo, as duas não são inimigas. Além do mais, apesar de ter feito algo de errado na juventude, Jo In Joo (You Da In), tenta se redimir anos mais tarde, ajudando Ji Hong e Hye Jun a ficarem juntos.




Pensei que Yoon Do ficaria na friendzone e que seria aquele sofrimento todo vê-lo tentar conquistar a Hye Jun e não conseguir tocar seu coração. Mesmo tendo aquela rixa com Ji Hong, ainda assim, eles também não são inimigos. Entretanto, apesar dos pontos positivos, vale ressaltar que alguns pontos ficaram em aberto, é válido dizer que provavelmente a intenção era deixar subentendido, mas eu gostaria de saber o depois da cirurgia do amigo da Hye Jun, o delinquente Kim Soo Chul (Ji Soo) e se ele conseguiu encontrar seu filho, bem como a Seo Woo merecia ter pagado pelas mentiras que contou, entretanto, nada que altere ou prejudique a história.




Para terminar essa resenha, visto que já falei demais - risos -, acredito que esse drama é um dos poucos dramas que consegue trazer cenas de ação, romance, medicina e política de forma a casar com a história. Hye Jun é obstinada e muito cabeça dura, entretanto, isso não soa de forma tão negativa. Ji Hong é mais centrado e seu modo de ver as coisas ajuda Hye Jun. Os dois formam um casal muito bonito e eu adorei ver a Shin Hye fazendo um papel totalmente diferente dos que eu já a vi fazer. E olha que tem cenas em que ela é bem ousada quando está sozinha com o Ji Hong.




Mesmo sendo insuportável, às vezes, eu entendia a Seo Woo e sua paixão frustrada pelo Yoon Do, mas pior do que ver o Yoon Do na friendzone, seria ver o Pi Young Kook (Baek Sung Hyun) sofrendo de amor. Até porque seria muito sofrimento junto. O Young Kook que gosta da Seo Woo que gosta do Yoon Do que gosta da Hye Jun que gosta do Ji Hong. Ufa!! É muito amor não correspondido - risos.




Ah, não poderia deixar de mencionar o núcleo dos residentes em formação, como o guloso Ahn Joong Dae (Jo Hyun Sik), o descolado Choi Kang Soo (Kim Min Suk) - *Spoiler*: quase morri do coração quando ele foi diagnosticado com um tumor na cabeça *Fim do spoiler*, que junto com enfermeira Hyun Soo Jin (Pyo Ye Jin) aprontam as maiores confusões, inclusive batendo o carro da Hye Jun; e o ranzinza Kang Kyung Joon (Kim Gang Hyun), que mesmo sendo um chato, ele conseguia ser muito engraçado.




De qualquer forma, eu sou extremamente suspeita para falar de Doctors, até porque sou fã da Shin Hye e diferentemente de muita gente eu não acho que ela "não sabe" beijar. Na Coreia, as coisas funcionam totalmente diferentes. É super normal vermos cenas de beijo e de sexo nas novelas da TV. Na Coreia, se for um dorama como Lie to Me ou Marriage not Dating, eles são considerados para adultos. E adivinhem só de que horário era exibido Doctors? Às 22h. Ou seja, drama para adultos. Acho que a Shin Hye precisava muito de um drama assim e eu espero que os próximos sejam numa vibe mais madura, afinal, a Shin Hye já está com 26 anos. Embora na Coreia seja super comum atrizes com mais de vinte anos interpretarem adolescentes.





Pelas cenas de ação bem feitas e nas quais a Shin Hye quase não usou dublês, sobretudo, na cena do hospital - isso mesmo, foi a própria Shin Hye que gravou aquelas cenas e inclusive se machucou um pouco nas gravações -, pelas cenas de beijo - com exceção da cena da cabine telefônica numa noite de chuva -, pelos casos médicos - já que é o meu primeiro drama médico -, pelos temas transversais e por todos os personagens incríveis é que recomendo Doctors. Espero que vocês possam gostar tanto quanto eu me apaixonei por essa história e por Hye Jun e Ji Hong como casal. Super recomendo!! Até a próxima, meus amores... Kissu... 





K-Drama legendado em português:
Fansub: DramaFans; Fighting Fansub (necessita cadastro)
Ver online: DramaFever; Viki

0 comentários:

Postar um comentário

Yooooo, Minnaaaa.... arigatou pela leitura... Comentem caso vocês tenham gostado dessa postagem... Caso postem comentários que não tenham nada a ver com o conteúdo do blog ou comentários ofensivos, os mesmos serão excluídos. Kissu...

 

AniMangá House Template by Ipietoon Cute Blog Design