quinta-feira, 14 de agosto de 2014

The Heirs (K-Drama)

O drama que fez o maior sucesso (também) fora da Coreia e, que como todos os dramas de sucesso, recebeu boas e más críticas. No entanto, para mim, e aviso de antemão, eu amei esse drama, então posso ser demasiado tendenciosa (risos). Eu super shippei esse casal, então, aguentem pela frente muita parcialidade (leia-se babação) da minha parte (risos).


The Heirs, drama coreano (2013)

Quando vi o trailer e o elenco me apaixonei, como eu poderia deixar de ver um drama no qual o Lee Min Ho e a Park Shin Hye (que amo de paixão os dois!!) estariam contracenando juntos?... quase morri! Sei que tem muita gente que fala mal da Shin Hye porque ela não é muito boa em cenas de beijo (e eu já mencionei isso em uma postagem anterior), apesar disso me incomodar um pouco - porque, vamos e convenhamos, a gente sempre espera aquele super beijo entre o casal que você mais shippa - dar beijaço na telinha (ou não) não a torna uma péssima atriz, até porque a considero muito talentosa, com uma carreira inteira pela frente para se aperfeiçoar.

Além do mais, todos nós sabemos que orientais não são tão desinibidos assim com cenas desse tipo, vale lembrar que Lie to Me recebeu muitas críticas "censuradoras" sobre as cenas de beijo entre Yoon Eun Hye e Kang Ji Hwan. Além disso, vi que muita gente fala mal da Shin Hye, porque ela faz papéis muito parecidos, mas eu digo que em nenhum momento a Cha Eun Sang me lembrou a Lee Kyu Won (de Heartstrings) ou a Go Dok Mi (de Flower Boy Next Door). Embora eu desejasse que em alguns momentos, a Eun Sang fosse mais atrevida, mas enfim... O roteiro ficou muito bom. E a química entre os atores foi ótima, poderia dizer até que foi perfeita!!




Título: 왕관을 쓰려는자, 그무게를 견뎌라 - 상속자들 / Wangkwaneul Sseuryeoneunja, Geumoogereul Gyeondyeora - Sangsokjadeul/ The Heirs
Direção: Kang Shin Hyeo, Boo Sung Chul
Roteiro: Kim Eun Sook
Gênero: Bullying, Comédia, Drama, Romance, School Life
Publicação: K-Drama - 20 episódios (SBS | 2013)
Nota♥♥♥♥


Sinopse: Cha Eun Sang (Park Shin Hye) é a filha da empregada. Kim Tan (Lee Min Ho) é o filho ilegítimo do poderoso chefe do grupo Jeguk. Ambos têm uma vida difícil e cada um convive com seus problemas e dilemas pessoais. No entanto, o destino faz com que a vida dos dois se conecte com a do outro de alguma forma. E dessa conexão nasce um amor forte e intenso. Enquanto Kim Tan tenta se libertar das amarras que o prendem ao jugo esmagador de seu pai, Kim Nam Yoon (Jung Dong Hwan), e tentar fazer as pazes com seu irmão, Kim Won (Choi Jin Hyuk) e com Choi Young Do (Kim Woo Bin), seu "ex"-melhor amigo, Eun Sang tem que enfrentar a ira da noiva de Kim Tan, Yoo Rachel (Kim Ji Won) e toda uma sociedade preconceituosa que não vai deixar que uma pobre coitada como ela consiga ser feliz com o mocinho rico.



Nem sei por onde começar a falar... ainda nem acredito que acabou... como sou uma pessoa um tanto quanto ocupada, acabo assistindo os dramas depois de eles fazerem sucesso, mas é assim mesmo... Eu não tenho palavras (ou tenho até demais - risos) para falar tudo o que eu senti enquanto assistia aos episódios desse drama que, para muitos, só foi assistido por ter uma esfera semelhante a um outro seriado famoso, Gossip Girl (embora eu tenha começado a assistir esse drama por causa de Lee Min Ho e Park Shin Hye... os fãs que me deem um desconto, mas eu não curto nem um pouco Gossip Girl, confesso até que tentei assistir, mas definitivamente, eu detestei... nada contra quem gosta, eu é que não curti mesmo).

The Heirs merece várias recomendações, a começar pelo roteiro. Muito bem escrito e com poucos, mas muito poucos fios soltos. Mas isso já era esperado da Kim Eun Suk, que não costuma nos decepcionar quando o assunto é k-drama. Além do roteiro quase impecável, temos ainda um elenco de peso. E não só isso, como também, um drama super produzido, com direito a gravações fora da Coreia, como é o caso dos primeiros episódios, que se passam nos Estados Unidos, mais precisamente em Los Angeles (Califórnia).




Nos primeiros episódios (e ao longo dos demais, é claro), a química entre Lee Min Ho e Park Shin Hye é tão perfeita que você deseja que na vida real eles fiquem juntos de verdade, porém ficção é ficção. Mas indo direto ao que interessa, Eun Sang vai até os EUA encontrar com sua irmã mais velha, Cha Eun Suk (Yoon Jin Seo), que mentia para a mãe e para a irmã que estava estudando numa faculdade de lá. No entanto, Eun Suk tinha uma vida medíocre com um homem violento e trabalhava numa lanchonete como garçonete e, numa das cenas do drama, fica subentendido que Eun Suk fazia outras coisinhas mais para ganhar dinheiro. Perceba que fica subentendido, mas não dá para saber se ela realmente se prostitui. Mas vale ressaltar que The Heirs é um drama bem realista em muitos aspectos, isso pode ser percebido no último capítulo, no qual o destino final dos personagens é selado.

O encontro entre as duas irmãs é bem dramático e tudo é presenciado por Kim Tan, que costumava frequentar a lanchonete onde Eun Suk trabalhava. Na cena em que as duas irmãs se encontram, Eun Sang já descobrira toda a verdade, que o namorado com quem Eun Suk casaria, na verdade, tinha outras mulheres e que ela não fazia faculdade nenhuma. Eun Suk foge ao pegar o dinheiro que a mãe enviara para seu suposto casamento.


Kim Tan se diz namorado de Eun Sang quando o policial tenta interrogar a moça.

Eun Suk, praticamente, rouba o dinheiro da mala de Eun Sang. E quando vai embora, o amigo americano de Kim Tan pensa que ela estava carregando drogas na mala, pois ele confundiu farinha de feijão com cocaína, eu acho. Só que o cara é alérgico e por causa disso, Eun Sang tem seu passaporte confiscado pela polícia americana e, sem ter para onde ir, acaba indo passar alguns dias na casa de Kim Tan. Embora ela tenha feito muita resistência para aceitar o convite do rapaz.

No início, Eun Sang não dá muito espaço para Kim Tan. Tudo o que ele lhe oferece, desde telefone, comida e estadia, ela insiste em pagar. Os dois passam a conviver juntos e Kim Tan vai se apaixonando pela moça. Nesse ínterim, Kim Tan tem que ir a um encontro de negócios onde seu irmão, Kim Won, estará presente. É óbvio que a relação entre os dois é a mais tensa possível e Won trata o irmão bastardo com extrema frieza e desprezo. O que faz com que Tan sofra bastante. Eun Sang presencia a conversa dos dois irmãos, mas não consegue fazer nada para ajudar o rapaz.




A Rachel, noiva de Kim Tan, tem tudo para ser a maior megera de todos os tempos, mas desde o início, quando Kim Tan descobre estar apaixonado por Eun Sang, tudo o que ela faz meio que não surte efeito. Apesar de ser um noivado meramente financeiro, já que o casamento entre ambos renderia milhões em ações, Rachel não consegue esconder sua obsessão por Kim Tan [O único que percebe essa obsessão toda é Lee Hyo Shin (Kang Ha Neul)]. Mais a frente, a gente descobre que Rachel realmente gostava de Kim Tan, mas ela tinha dificuldades em demonstrar o que sentia.

As armações de Rachel são das que mais conhecemos em dramas. Ela humilha a Eun Sang em toda oportunidade que tem. E o que mais me irritou foram as vezes em que a Eun Sang vasculhou o lixo atrás de algo que a Rachel roubara dela alegando ter jogado fora. São pelo menos três cenas nas quais Eun Sang aparece de joelhos vasculhando latas e sacolas de lixo para encontrar ou o seu passaporte, ou o seu cartão de informações aduaneiras ou o seu uniforme da escola (sendo que este realmente tinha sido jogado no lixo). De certa forma isso me incomodou bastante, não tem graça procurar coisas no lixo com as mãos e acreditar na vilã. Mas ao menos, ao longo dos episódios, Eun Sang começa a saber se defender melhor da Rachel e até revida o tapa que esta lhe dera em um dos episódios anteriores.


Rachel fala mal da mãe de Eun Sang e leva uma tapa na cara. Quando tenta revidar, Eun Sang se defende.

Os personagens de The Heirs são, em sua grande maioria, da elite coreana, mas nem por isso têm a vida perfeita que sempre quiseram. São filhos de empresários ricos, de advogados e herdeiros de alguma grande fortuna. Apenas Eun Sang e a mãe, Park Hee Nam (Kim Mi Kyung), são "pobres". Embora o amigo de infância de Eun Sang, Yoon Chan Young (Kang Min Hyuk), faça parte do grupo de assistência social da escola (ou seja, não paga mensalidade), ele é filho do secretário chefe da empresa Empire, Yoon Jae Hoo (Choi Won Young), que por ser braço direito do pai de Tan e Won, seu filho pode estudar tranquilamente na escola do grupo Jeguk, sem ser intimidado pelos demais alunos ricos, como Young Do e seus amigos.

Chan Young (interpretado pelo fofo do Min Hyuk, do grupo musical CNBlue) é o número um dos estudantes, é o presidente da sala e tira notas altíssimas, sempre ocupando o 1º lugar do ranking. Na escola, apesar de ser bolsista e de fazer parte do grupo de assistência social, do qual Eun Sang fará parte depois, todos o respeitam, já que seu pai é braço direito do pai de Kim Tan e dono da escola. Além disso, Chan Young namora a herdeira do grupo de entretenimento Mega, Lee Bo Na (Jung Soo Jung), que apesar de fútil e ciumenta, é super meiga. Acho que eles formam o casal secundário mais fofo do drama. Por ser ciumenta, Bo Na implica horrores com Eun Sang e não acredita na amizade de garotos e garotas, mas no final ela acaba virando amiga de Eun Sang.





Young Do é um personagem à parte. Ele é o maior delinquente da escola e todos têm medo dele. No entanto, ele guarda uma grande mágoa, que é não saber onde sua mãe está. Além disso, Young Do era o melhor amigo de Kim Tan, mas quando ele descobre que Tan é um filho ilegítimo, este passa a rejeitá-lo e a amizade entre os dois vira uma guerra. Quando Kim Tan volta à escola, as brigas entre os dois são inevitáveis, sobretudo, quando Young Do se descobre apaixonado por Eun Sang. Mas apesar de seus esforços, ele não tem chance nenhuma com ela. E isso é uma das coisas que mais amei em The Heirs, o amor de Kim Tan e Eun Sang é firme e sólido. Não há espaço para dúvidas nem intrigas! Gente, tinha cena que dava o maior dó do bichinho... ah se eu pudesse consolar o moçoilo... (risos).

Ainda sobre Young Do, que eu considero um dos personagens mais complexos, assim como Rachel e Hyo Shin, ele nem é tão marrento assim. Depois de se descobrir apaixonado por Eun Sang, gradativamente, suas atitudes vão mudando. E, consequentemente, ele vai se tornando uma pessoa melhor. Uma das coisas que eu gostava era a relação dele com a Rachel: feito cão e gato. Eles nem eram irmãos ainda, mas se desentendiam como se já fossem, isso porque seus pais, Choi Dong Wook (Choi Jin Ho) e Esther Lee (Yoon Son Ha) estavam de casamento marcado. Por um instante eu achei que eles iriam se apaixonar no final, mas isso não aconteceu. Uma pena, porque os dois ficariam muito fofos juntos. Seria o típico romance que antes de virar amor, era ódio. Mas o Young Do gosta mesmo da Eun Sang e o coitadinho sofre muito para tentar esquecê-la. E olha que ele era super malvado com ela em alguns momentos.






Aproveitando a deixa, vou falar da Rachel e do Hyo Shin. Rachel é noiva de Kim Tan, mas ele não gosta dela. Aliás, o noivado dos dois não passa de um mero acordo financeiro entre as ações da empresa da sua mãe com a empresa do pai de Tan. Já Hyo Shin é pressionado pelos pais a seguir carreira como advogado, já que ele é o único herdeiro da família e futuro gestor da Advocacia Geral Lee Chang Hyuk. No entanto, Hyo Shin sonha em ser cineasta e, apesar de ter tentado suicídio, seus pais insistem em pressioná-lo para que entre numa faculdade de Direito. Hyo Shin é o único que percebe a obsessão de Rachel por Kim Tan e, de alguma forma, ambos se apoiam um no outro por algum tempo. Mas não são amigos e nem pessoas próximas.

Hyo Shin é apaixonado pela sua professora particular, que depois passa a ser sua professora na escola, Jun Hyun Joo (Im Joo Eun). Entretanto, Hyo Shin não sabe que ela é apaixonada por Kim Won e que eles não podem ficar juntos, pois são de mundos totalmente diferentes. Mas ele não consegue deixar de pensar nela e, na festa de reconciliação de Bo Na e Chan Young, Rachel o beija para provocar ciúmes em Kim Tan. Mas é óbvio que não surte efeito. Após o beijo, Hyo Shin se dá conta de que Hyun Joo também estava presente e para provocar ciúmes nela beija Rachel. O engraçado é que os dois ficam envergonhados de encarar um ao outro depois, sobretudo, Rachel. Mas mesmo assim, embora eu mesmo achando que não tinha muito coisa a ver, mas podia ter, eles não terminaram juntos. Sem mencionar que eu torci para que a Rachel e o Young Do ficassem juntos... eles tinham um quê que combinavam.





Apesar de algumas cenas tensas, alguns personagens vieram para arrancar risos e aliviar a tensão do drama. Um deles é o Jo Myung Soo (Park Hyung Shik). Ele deseja que Kim Tan e Young Do façam as pazes, mas esse é um assunto muito delicado entre os dois. Apesar de às vezes não bater bem das ideias, Myung Soo é super descontraído e quer sempre se divertir e fazer os outros se sentirem bem. Ele foi o primeiro a descobrir que Eun Sang morava na casa de Kim Tan, mas sua memória era muito falha para ter certeza. Além disso, ele só a tinha visto saindo da casa de Tan, mas não poderia supor que ela era a filha da empregada da casa e que estava morando lá de favor. Por causa dessa confusão e por vê-la sair de um bairro rico da Coreia, passa a chamá-la de "garota do dinheiro".





As outras duas personagens engraçadas foram a mãe de Kim Tan, Han Ki Ae (Kim Sung Ryung), e a mãe de Eun Sang. Apesar de ter perdido a voz, Hee Nam e Ki Ae se comunicavam perfeitamente bem e brigavam muito também. Ki Ae é a mãe biológica de Kim Tan que vive escondida dentro de casa, já que todos pensam que a única esposa do presidente Kim é a megera da Jung Ji Sook (Park Joon Geum), que por sinal também não é a primeira esposa. A primeira esposa do presidente foi a mãe de Won, Sophie. A única garantia que a megera tinha era ter o nome no registro de família, o que deixava Ki Ae na condição de mera amante, sem direitos de se declarar esposa ou mãe de Kim Tan e, obviamente, sem direitos de ter parte das ações da empresa.

No início, a Ki Ae parece ser bem fútil mesmo, mas com o passar dos episódios, você vai percebendo que a sua vida é bem difícil. Sempre sofrendo humilhações da Ji Sook e do próprio presidente. Aliás, se você pensa que a Ji Sook é uma cobra, é porque não viu o pai do Tan e do Won. O cara é um controlador doentio, a ponto de colocar um detetive na cola dos dois filhos e de controlar a vida de todo mundo, inclusive do pai do Chan Young. Além disso, o cara é descaradíssimo quando coloca os dois filhos um contra o outro, mas Tan não tem interesse na empresa da família, no entanto, Won odeia o irmão. Até certo ponto, já que estamos falando de uma família tradicional coreana, isso é compreensível, mas tinham cenas em que não dava para aguentar tanta frieza e indiferença por parte do Won. Ele já sofre bastante com o fato de ter que escolher entre obter o controle da empresa e a mulher que ama, além disso se vê sozinho sem o apoio da família, chegando a sair de casa quando Tan retorna dos EUA. Mas ainda bem que aos pouquinhos ele vai percebendo que gosta do irmão e a forma como eles vão se aproximando não é nenhum pouco forçada ou artificial, é algo gradativo e substancial.






The Heirs não é apenas um drama que mostra o romance entre uma garota pobre e um cara rico. Gostei desse drama, porque ele mostra como funciona esse mundo do dinheiro. O que tem por trás dele e o que o move para a frente. As disputas de poder e de interesses são mostradas e desenvolvidas da forma mais realista possível. Quando o presidente sofre um AVC e entra em coma, Ji Sook entra em ação para obter o controle do grupo Jeguk. Ela já é a presidente da escola Jeguk e, aproveitando a oportunidade, tenta passar a perna em Won para afastar o Kim Nam Yoon da presidência e dessa forma assumir o poder. Para isso, ela se reúne com os demais acionistas visando obter uma vantagem considerável da porcentagem para ganhar. No entanto, sua tentativa é frustrada. Outro exemplo disso, é o casamento dos pais de Young Do e Rachel que só aconteceria visando o aumento das ações das empresas de ambos. Ainda falando sobre isso, o casamento arranjado de Won com uma das herdeiras e acionistas do Empire mostra como os casamentos por interesse são ponto forte nessa busca pelo poder.

Além das disputas de poder, outro ponto interessante é mostrar os relacionamentos mal fadados de dois casais mais velhos. Esses casais são Won e Hyun Joo e o pai de Chan Young, Jae Ho, e a mãe de Rachel, Esther. Na juventude, Won e Hyun Joo eram super apaixonados, mas o presidente interveio na relação dos dois naquela época e depois afastando-os definitivamente, quando obriga Won a se casar com uma herdeira e acionista do grupo. Isso tudo sem mencionar, que ele passou o drama inteiro interferindo na vida dos outros. Tanto que o fim do relacionamento de Jae Hoo e Esther teve o dedo do presidente Kim Nam Yoon. Há 20 anos atrás, Jae Hoo e Esther viviam problemas semelhantes aos de Won e Hyun Joo: ambos viviam em mundos totalmente diferentes. Como The Heirs é um drama realista, acima de tudo, esses dois casais não têm o final feliz esperado, e cada um segue a sua vida.






Mencionei praticamente todos os motivos que me fizeram gostar de The Heirs. Puxando pela memória, não me lembro de alguma coisa que eu não tenha gostado, exceto é claro, as cenas nas quais a Eun Sang aparecia vasculhando o lixo sempre por causa da Rachel. No mais, se eu fosse elencar motivos para assistir e motivos para não assistir (os quais ainda não encontrei), todos os motivos para assistir já foram mencionados e se serve de estímulo ainda mais, The Heirs foi um drama recheado de muita cena de beijo, não só entre o casal principal, mas também entre os demais personagens, além de muitas cenas de abraços e cenas meigas.

Sessão abraço:








Sessão beijo (ou quase beijo):












Sessão cenas meigas:







Eu, como já disse no início desse post, gostei pacas desse drama, fazia tempo que eu não me empolgava tanto assim com um drama como eu me empolguei com The Heirs. Gostei muito da Eun Sang. Apesar de ela recuar e de fazer resistência em aceitar estar apaixonada por Kim Tan, o clima e as cenas em que eles aparecem juntos são ótimas. É compreensível que Eun Sang se sinta assustada, afinal, o pai do Kim Tan faz ela largar a escola, mudar de cidade e, ainda por cima, tem que assistir de camarote a sua mãe ser rejeitada nas entrevistas de emprego por ser muda. 

Além disso, eu adorei o Kim Tan. Apesar de ter apenas 18 anos no drama, ele era decidido e firme em suas decisões, sobretudo, no que ele sentia pela Eun Sang. O Young Do também me cativou bastante, depois que ele conhece Eun Sang e se apaixona por ela, ele começa a descobrir um lado seu que ele não conhecia. O que o faz se arrepender de todas as suas atitudes cruéis. Mas se de todos esses motivos que eu citei, você ainda achar que The Heirs não te convenceu, eu digo, se você for daqueles que gostam de dramas no qual o amor vence e ultrapassa todas as barreiras, então se ainda não viu essa drama, tem que ver hoje! (risos).





K- Drama em português:
Fansub: Fighting Fansub; HanAh Fansubs; Hanabi Dramas; Meteor Dramas; NSKPT; Subarashiis Subs (necessitam cadastro)
Ver online: Dopeka, DramaFever, Viki

Entenda porque os links foram removidos

2 comentários:

  1. Ainnnnnnnnnnnnnn..... eu amei esse dorama.... fiquei super na expectativa e estava com medo de me decepcionar, mas eu amei, amei e amei... E eu também adorei a sua resenha... e as imagens que você escolheu.... foi super nostálgico... parabéns pelo blog!! =3

    ResponderExcluir

Yooooo, Minnaaaa.... arigatou pela leitura... Comentem caso vocês tenham gostado dessa postagem... Caso postem comentários que não tenham nada a ver com o conteúdo do blog ou comentários ofensivos, os mesmos serão excluídos. Kissu...

 

AniMangá House Template by Ipietoon Cute Blog Design